segunda-feira, 10 de setembro de 2012

Descrição de Aveiro (Comarca de Esgueira) Corografia de António de Oliveira Freire,1739

Comarca de Esgueira

A mais formosa, abundante, e fértil povoação da Província da Beira, depois da Cidade de Coimbra, é a nobre Vila de Aveiro assentada onde o Vouga por muitas bocas desagua no Oceano em 41. gr. e 38. min. de lati. e 9. gr. e 49. min, de long. Foi fundada por Brigo IV Rei de Espanha quatrocentos anos depois do diluvio, 1906 anos antes da vinda de Cristo, ano 2056. da criação do mundo em 53. léguas de distância de Lisboa. Padeceu como as outras povoações de Espanha os estragos de conquistada por Alanos, Suevos, Godos, e Mouros, os quais a reduzirão à ultima ruína, mas duzentos e dez anos, antes que se começasse a Monarquia Portuguesa na Casa de Borgonha, se acham memórias da estar reedificada e com suas celebres marinhas de sal, cujo produto é uma de suas principais riquezas.

Tem voto em Cortes com assento no banco sétimo: é abundante de pão, vinho, azeite, caça, legumes: cria generosos cavalos, muita fruta de espinho, e sal, que tudo embarca para o Norte. Seus mariscos são os mais regalados de toda a costa de Espanha, e tão copiosos, que parece sua multidão inextínguivel ao gasto, que lhe dão as Províncias do Reino, e suas Conquistas. Os seus moradores se dividem em quatro Paroquias, todas da Ordem militar de Avis, e são da invocação de São Miguel, do Espírito Santo, Vera Cruz, e de N. Senhora da Apresentação. Tem casa de Misericórdia a mais sumptuosa, que tem o Reino na fabrica material, e nobreza de sua arquitectura, no rendimento é das mais ricas, e na piedade, com que a administram cem irmãos, das mais fervorosas.

Teve antigamente muitos Senhores donatários: o celebrado Infante D. Pedro a teve em remuneração dos seus grandes merecimentos, e foi o que a circundou com famosas muralhas. Depois a teve a Infanta D. Joana irmã del Rei D. João o II. e ultimamente se concedeu a descêndencia deste grande Rei por mercê do venturoso Rei D. Manuel na pessoa do Senhor D. Jorge Duque de Coimbra, tronco da Real Casa de Aveiro em cujos descendentes se conserva com titulo Ducal.

Ilustra-se com seis Conventos; O de S. Domingos fundação do Infante D. Pedro, Duque de Coimbra, o Mosteiro de JESUS de Religiosas Dominicas, em cujo coro baixo está a Princesa D. Joana filha del Rei D. Afonso V. que está beatificada. S. António Convento de Capuchos Franciscanos da Província da Soledade fundado em 1524. O de Carmelitas descalços em 1613. O Convento da Madre de Deus de Religiosas da Terceira Ordem de S. Francisco em 1644. O Convento de S. João Evangelista de Carmelitas descalças fundado em 1658. O Recolhimento de Terceiras de S. Francisco, e a Igreja dos Terceiros da mesma Ordem com sacrário, Comissário, e Religiosos assistentes, que tem por orago a S. Bernardino.

Deu-lhe foral El Rei D. Manuel em 1515. reformando o que já tinha por EI Rei D. Afonso IV. Ela, e seu termo tem dez companhias de Ordenanças, que com as de toda a Comarca fazem o número de trinta e seis. Os Provedores, e Ministros do politico, e civil residem nesta Villa, por especial provisão, que têm para isso. A sua nobreza hé muita, e da mais antiga com patrimónios muito rendosos. Os seus moradores, que pelos anos de 1550, contavam mais de cento e cincoenta embarcações de próprio comércio, foram os descobridores da Terra Nova, e pescarias do bacalhau, e por incúria as largaram, aos Ingleses, que tiram deste tráfico o lucro, que é notório.

Toda a Comarca consta de vinte e sete Vilas, hum Concelho, e um Couto, cincoenta e nove Freguesias com perto de vinte e quatro mil fogos, e de oitenta mil almas, e hum Convento único de Capuchos de S. António, que em toda ela se acha fundado na Vila de Serem.
 
Villas, Fogos e Almas.
 
Aguieira, 40, 160
Anadia, 273, 894.
Angeja, 463, 1469.
Assequins, 100, 230
Aveiro (tem Misericórdia), 1331, 4387
Avelãs de Caminho,250,
Avelãs de Cima,280, 927
Bemposta,288, 962
Brunhido,727, 2091
Eixo, 712, 2337
Estarreja,150, 470
Ferreiros,302, 856
Ílhavo,1285, 4168
S. Lourenço do Bairro,20, 69
Óis da Ribeira,124, 433
Oliveira do Bairro,260,
Paus,284, 1058
Prestimo,150, 519
Recardaes,120, 392
Sangalhos,200,
Segadaens,94, 330
Serem,279, 913
Sousa,780, 928
Trofa,171, 611
Villarinho do Bairro,222, 655
Vagos (tem Misericórdia), 608, 1561
Vouga, 15, 39
Fermedo (concelho), 180, 490
Esteves (couto), 180, 581

1 comentário:

  1. Sr. Hugo Cálão

    Fiquei deverás impressionado com todos os textos até em latim.

    Esgueira já foi comarca, por caso não sabe quem a criou ?
    (tem um belessimo brasão na parte lateral do edificio com as armas de França, Portugal e de Faugeres de Lunas)

    Quando fala em Santo André em Esgueira (ou Esgarie ou ysaguier termo antigo), refere se a que santo e qual a ligação a que terra ou País ?

    As ordens Dominicanas como vem descrito na corografia portuguesa foram criadas em Portugal por Infante D. Pedro, Duque de Coimbra, qual a relação deste Infante com a casa de Foulques e Miremont em França, sendo estes iniciadores de Saint Dominique (Dominican) ?

    Nos registos que tenha lido, encontrou algum trecho de uma terra de Santa Maria das Besteiras ou Besteiros no distrito de Aveiro ?

    Os meus melhores cumprimentos,
    Pedro

    ResponderEliminar